Bettina Ferro e Barros Barreto realizam mutirão solidário de atendimento em saúde

Às vésperas do Natal, os hospitais universitários Bettina Ferro de Souza (HUBFS) e João de Barros Barreto (HUJBB) uniram forças para realizar nesta quinta-feira, 20, a terceira edição do Mutirão Solidário da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que gerencia o Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA). Ao todo, 24 idosos do Abrigo João de Deus e cerca de 60 crianças da creche da Igreja de Santa Isabel da Hungria receberam atendimento em dez especialidades médicas. Ambas instituições sociais atendem, exclusivamente, pessoas de baixo poder aquisitivo em Belém e contam com a solidariedade do povo paraense através de doações e voluntariado para a realização do serviço.
 
No Abrigo João de Deus, localizado no bairro da Cidade Velha, os idosos foram avaliados por médicos e nutricionistas, e para alguns deles foram solicitados exames, que serão realizados posteriormente no Barros Barreto. Segundo o chefe da Divisão Médica do Hospital Barros Barreto, Daniel Monteiro, a maior demanda foi para a cardiologia, mas o HUJBB também ofereceu consultas nas áreas de pneumologia, endocrinologia, neurologia, psiquiatria, dermatologia, nutrição e clínica médica, assim como exames de pressão, avaliação nutricional e uma atividade de educação da odontologia.
 
"Há dois anos não ia ao médico", afirmou Manoel Abreu, idoso acolhido pelo Abrigo João de Deus, que assim como outros moradores do abrigo, teve a oportunidade de consultar com o cardiologista: "graças a Deus, tudo está normal", disse aliviado. Outro que passou pela consulta foi Bernaldo Rodrigues: "foi um grande benefício, pois as avaliações de saúde que pudemos fazer aqui contribuem para que possamos estar bem física e psicologicamente".
 
Pela segunda vez, o clínico geral Antônio Rocha participou do Ebserh Solidária. Em agosto, ele integrou a equipe de voluntários que realizou atendimentos para os venezuelanos em Roraima, e relata que mais uma vez se surpreendeu com a dimensão da ação. "Nós fomos prestar um serviço solidário e isso acaba contribuindo para nossa formação emocional", afirma o médico.
 
Na creche Santa Isabel da Hungria, localizada no bairro do Guamá, as crianças receberam atendimento no período da tarde nas áreas de otorrinolaringologia, oftalmologia, pediatria, fonoaudiologia, nutrição e enfermagem do HUBFS. Para Maria de Nazaré da Silva, mãe da pequena Mila Mayara, de 11 meses, o mutirão foi importante porque até então a menina não tinha passado pelo teste da Orelhinha, "por isso é ótimo esse atendimento aqui, com vários médicos ao mesmo tempo".
 
A dona de casa Luana Fabiana de Carvalho, mãe do menino Davi Marcelo, de quatro anos, revelou gratidão pelo atendimento, por considerar a dificuldade de conseguir vaga em um especialista no serviço público de saúde. "Receber esse atendimento aqui é muito bom e a gente fica menos preocupada, sabendo que os olhos e os ouvidos dele não estão com problema", declarou. 
 
Voluntariado - "Trazer avaliação de saúde para quem precisa e não pode se deslocar até o hospital foi o nosso objetivo, que consideramos cumprido. Trouxemos todas as especialidades médicas que o abrigo necessitava, assim como garantimos a continuidade desse atendimento para esses idosos no HUJBB", adiantou a gerente de Atenção à Saúde do Hospital Barros Barreto, Lauricéia Valente. Segundo a gestora, o mutirão de saúde foi uma oportunidade de aprendizado para os profissionais, pois "pudemos oferecer uma atenção individualizada, uma forma de aperfeiçoar o cuidado com o paciente", comentou.
 
A Gerente de Atenção à Saúde do Bettina Ferro, Ana de Fátima Brito, acrescentou que a importância do mutirão é que a partir dele o que se quer é aproximar os serviços hoje realizados nos hospitais universitários dentro do espaço da comunidade. Ela disse ainda que, pelo motivo do mundo vivenciar em dezembro a solidariedade, "expressamos esse sentimento levando o que temos condições de fazer, que é o ensino e a assistência", finalidades essas que na avaliação dela foram alcançadas junto aos pais e às crianças da creche.
 
A membro da comissão do Mutirão no Bettina, Cleide Rayol, que responde pela Divisão de Gestão do Cuidado no hospital, considerou como positiva a ação, sobretudo, pelo comparecimento dos pais e por ter atingindo um público, que na opinião dela, é carente em atendimento médico.
 
Satisfação demonstrou também o enfermeiro Glenjer dos Reis Silva, que participou pela primeira vez de um mutirão da Ebserh. A empolgação dele foi tanta ao atender as crianças, tanto que já estava pensando em ser voluntário da creche Santa Isabel da Hungria. "Essa ação está de parabéns, porque nos permite conhecer um pouco mais as pessoas e doar o nosso serviço e, ao mesmo tempo, mostrar um pouco mais o potencial da enfermagem ao avaliar as crianças, muita vulneráveis, por esse motivo penso me lançar candidato a voluntário da creche", revelou.
 
Todos podem colaborar com doações de alimentos, brinquedos e material escolar e de higiene para as instituições contempladas pela 3ª Ebserh Solidária. A creche da Igreja de Santa Isabel da Hungria fica localizada à Travessa Guerra Passos, 442, Guamá, telefone (91) 3253-0133, e o Abrigo João de Deus se localiza à Travessa Joaquim Távora, na Cidade Velha, telefone (91) 3241-3195.
 
Sobre a Ebserh
 
Desde outubro de 2015, o Complexo Hospitalar da UFPA é filiado à Rede Ebserh. Estatal vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.
 
A empresa, criada em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh
 
 
Texto e fotos: Edna Nunes e Paola Caracciolo – Jornalistas do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh.