NSP do Barros retoma o Plano de Capacitação em Segurança do Paciente

O Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), do Hospital João de Barros Barreto (HUJBB), vinculado ao Complexo Hospitalar da UFPA/ Ebserh, retoma na terça-feira, 09, das 9h às 11h, a primeira oficina do projeto do Plano de Capacitação em Segurança do Paciente, desenvolvido pelo NSP, destinado aos funcionários e estudantes que atuam na instituição. O evento acontece na sala 4 do Centro de Estudos e o primeiro tema abordado em 2018 é sobre a “Segurança Medicamentosa – Apresentação de Boas Práticas”. A convidada para ministrar o assunto é a coordenadora do Projeto de Extensão “Segurança do Paciente Portador de Doenças Transmissíveis: uma assistência de Enfermagem de Qualidade”, a Profa Danielle dos Reis.
Segundo o chefe do Serviço de Vigilância e Segurança do Paciente e coordenador do Núcleo de Segurança do Paciente, o infectologista Lourival Rodrigues Marsola, “a capacitação faz parte do Plano de Segurança do Paciente para investir na qualificação de nossos profissionais. Para isso, trabalhamos com diversos níveis de formação, desde a graduação até a pós-graduação”. Ele garantiu que os colaboradores continuarão sendo capacitados, com atividades previstas sempre às terças-feiras.
Marsola explicou que o Plano dispõe de metas revistas a cada dois anos e investirá na cultura de segurança organizacional. Na opinião dele, a instituição, que trabalha de forma madura a segurança do paciente, torna-se mais segura e, consequentemente, reduzirá o dano ao usuário, o objetivo maior do projeto.

O infectologista comentou que o HUJBB já vinha trabalhando a capacitação dos profissionais, mas com a criação do plano atual passou a ser mais estruturado,

“com prazos e metas e que envolverá todos os níveis da atenção”.

Temas relacionados aos protocolos de segurança têm provocado bastante discussões. Entretanto, também tem sido pautado temáticas pertinentes como: erros, quando ocorre; e evoluções desfavoráveis, com o objetivo de aprender com os erros. Com isso, enfatiza o médico, espera-se “melhorar a cultura de segurança no hospital, minimizando o risco ao usuário”.

Texto e fotos: Edna Nunes – Ascom Complexo Hospitalar da UFPA/ Ebserh.