Sipat da UJBB alerta sobre a promoção da saúde e a prevenção de acidentes

Quem tinha dúvida sobre o adoecimento, legislação e qualidade de vida no ambiente de trabalho teve a chance de esclarecê-las com a realização da Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat-2017), promovida pela Comissão Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho (Cipa) da Unidade João de Barros Barreto (UJBB), do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA)/ Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) no período de segunda-feira, 04, a quarta-feira, 06. Profissionais de vários órgãos e da própria instituição hospitalar se uniram para esclarecer aos funcionários a importância de ficarem atentos ao tema: "Porquê se arriscar? Cipa, segurança em primeiro lugar!". Para a organização, a programação cumpriu com o seu objetivo: a promoção da saúde e a prevenção de acidentes.
 
A abertura contou com a participação do Gerente de Ensino e Pesquisa (GEP) do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh, Pedro Piani, representando o superintendente do Complexo, o médico e sociólogo Paulo Amorim; com a chefe da Enfermagem da UJBB, Elaine Regina de Souza; Chefe da Divisão de Gestão de Pessoa, José Miguel Ferreira; chefe da Unidade de Saúde e Segurança do Trabalhador (USST), Wellignton Lucas; e presidente da Cipa da UJBB, Silvia Gomes. Além de sorteio de brindes, a organização ofereceu café da manhã e brindes ao longo dos três dias.
 
Ciclo - O pontapé inicial do ciclo de palestras ocorreu com a representante da Diretoria de Saúde Ocupacional/Secretaria de Estado de Administração (Sead), a terapeuta ocupacional Luciana Amorim. Ela abordou as "Síndromes tecnológicas: impacto do uso inadequado de equipamentos de tecnologia para a saúde do trabalhador". Na opinião dela, alertar os profissionais sobre o uso inadequado dos equipamentos eletrônicos é fundamental porque muitos problemas estão relacionados a isso, dentre eles, o de coluna, a lesão por esforço repetitivo (Ler) e acidentes gerados por distração do trabalhador na hora de utilizá-los. "Outro problema despercebido é a interação social e conflitos, sobretudo, em redes sociais", enfatizou.
 
Outro assunto que chamou atenção o que discutiu a biossegurança, apresentado pela enfermeira da Unidade de Gestão de Risco Assistenciais, Danielle Tuma. Ela relacionou a segurança do trabalhador com a da clientela da unidade, que corresponde a pacientes de HIV-Aids, tuberculose, dentre outras doenças infectocontagiosas. "A preocupação é atendê-los com segurança, pensando na deles e também na nossa". Então, os equipamentos de proteção individual (EPIs) impedem que haja problemas para ambas as partes, por exemplo, veiculação e infecção cruzada de micro-organismos que circulam no nosso ambiente".
 
Prática - Ainda como parte do evento, os participantes tiveram momento de aprendizado prático. Além de repassar conhecimento teórico por meio da palestra "Combate a incêndio com uso de extintores", o subtenente do Corpo de Bombeiro Militar do Pará, Orlando da Costa, fez demonstração de como lidar com o gás liquefeito de petróleo (GLP) ou gás de cozinha e uso correto do extintor de incêndio. "Em geral, as pessoas colocam o botijão perto de geladeira ou do fogão, mas se houver fogo, não é bom sair correndo, porque o botijão não explode. O correto é controlar o fogo e fechar a saída do gás", alertou.
 
Lotado no quinto oeste da UJBB, o maqueiro José Maria Sampaio, considerou a Sipat um momento fundamental de aprendizagem. "Aprendemos muito em relação à prevenção de acidente e esclareci muitas dúvidas", afirmou. Para ele, o adquirido no evento será utilizado em seu cotidiano dentro e fora do hospital. Além disso, observa que a cada ano a Sipat oferece mais informação sobre a realidade vivenciada dentro do Barros Barreto.
 
Avaliação – A presidente da Cipa,Silva Galvão, avaliou todo o evento como construtivo para os funcionários da unidade, tanto que comentou não ter dúvida que, apesar de nem todos comparecerem ao evento, os que se fizeram presentes servirão de multiplicadores do que apreenderam nos três dias de repasse de informações.
 
O chefe da USST, Welligton Lucas, entende que com o ciclo de palestras a semana conseguiu cumprir com o objetivo, a promoção da saúde e a prevenção de acidentes. "Ações que, do ano passado para cá, são resgatadas junto à Cipa", enfatizou. Ele faz coro ao discurso de Silvia Gomes, afirmando que "a Sipat não se encerra aqui, porque continua com as rodas de conversa do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmt), nas ações de biossegurança e nas campanhas realizadas na UJBB, dentre elas, a de vacinação e do Adorno Zero".
 
 
Textos e fotos: Edna Nunes – Ascom Complexo Hospitalar da UFPA/Ebser.
Silvia Giese – Bolsista do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh.