Ouvidoria do Complexo melhora desempenho em ranking da Controladoria Geral da União

No primeiro semestre deste ano a Ouvidoria do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (CHU-UFPA), vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), obteve melhora no desempenho no atendimento de pedidos de acesso à informação pública. Os dados são do Painel da Lei de Acesso à Informação, desenvolvido pela Controladoria Geral da União (CGU) Segundo o Painel, o CHU-UFPA caiu 42 posições no ranking de órgãos/entidades com mais omissões nos pedidos de acesso à informação. Além disso, houve diminuição no tempo de resposta às manifestações registradas na Ouvidoria (reclamações, sugestões, denúncias) de 90 dias, em 2018, para 28 em 2019.

Para o ouvidor do Complexo, Marcelo Novoa, esses avanços se devem à melhoria no desempenho dos setores que recebem as solicitações. "A ouvidoria é o elo entre o manifestante e os setores demandados, os quais têm nos auxiliado bastante na resposta às solicitações em tempo rápido, e isso contribui para que melhoremos cada vez mais os nossos indicadores", afirma o ouvidor. O Complexo Hospitalar da UFPA já chegou a ocupar a sexta posição no ranking de órgãos mais omissos, mas em junho de 2019 caiu para a 48º posição, segundo dados do Painel da CGU. Sobre as demandas de ouvidoria, ao final de junho, das 63 manifestações respondidas, 87% foram entregues dentro do prazo da legislação.

"Os resultados mostram um movimento da gestão no sentido de aperfeiçoar os mecanismos de interlocução com o usuário. Umas das estratégias tem sido garantir a efetiva corresponsabilidade das áreas no que diz respeito ao atendimento qualificado ao usuário, que é uma obrigação legal de todo agente público", afirma a Ouvidora-Geral da Ebserh, Savana Dantas, que considerou satisfatória a rapidez e eficácia dos resultados que vêm sendo apresentados pela Ouvidoria local.

O médico e sociólogo Paulo Roberto Alves de Amorim, Superintendente do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh, considera que a ouvidoria é um setor fundamental na gestão dos Hospitais Universitários Bettina Ferro de Souza (HUBFS) e João de Barros Barreto (HUJBB), que compõem o Complexo. "Por meio das manifestações dos usuários, sejam reclamações ou elogios, podemos ter conhecimento de diversas situações e agilizar a resolução de problemas, sempre buscando melhorias no ensino e na assistência", afirma o Superintendente. 

Caso deseje registrar uma manifestação à ouvidoria, o usuário é cadastrado no sistema da Controladoria Geral da União e pode acompanhar a solicitação através do painel eletrônico E-ouv, do Sistema de Ouvidorias do Governo Federal. A Ouvidoria do Complexo funciona de segunda à sexta das 8h às 17h, no segundo andar do Hospital Barros Barreto (telefone 3201-6751) e na sala próxima ao guichê de atendimento do Hospital Bettina Ferro (telefone 3201-8594).

Sobre a Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh. O Complexo Hospitalar da UFPA integra a Rede Ebserh desde outubro de 2015. 

Texto: Paola Caracciolo – Ascom do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh