Complexo realiza segundo módulo da capacitação para profissionais da atenção básica

Ocorreu na última quarta-feira (26) o Módulo II do Programa de Educação Permanente para Profissionais de Saúde da Atenção Básica, do ano de 2019, oferecido pela Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP) do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA)/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Quarenta profissionais participaram da capacitação, dentre médicos e enfermeiros do Programa Mais Médicos, dos municípios de Aurora do Pará, Mãe do Rio e Ulianópolis, além de residentes do Programa de Residência Médica em Saúde da Família e da Comunidade do Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB).

O objetivo da capacitação é atender às necessidades das equipes da atenção básica por meio da atualização de temas relevantes para suas realidades. Neste módulo os temas escolhidos foram: "Uso racional da padronização medicamentosa do hiperdia", "Hanseníase" e "Tuberculose: desafios e abordagem diagnóstica e terapêutica". "Como a incidência dessas doenças é muito comum na nossa região, precisamos capacitar os profissionais para que possam diagnosticar e tratar corretamente o paciente, e também atualizar diretrizes", comenta a chefe do Setor de Pesquisa e Inovação do Complexo, Simone Conde.

A hipertensão foi o primeiro dos três temas a serem ministrados, e contou com a participação do médico Walgner Tarcísio, da Unidade de Clínica Médica do HUJBB, que também atua na área de Medicina da Família e da Comunidade. Além dos aspectos principais sobre o diagnóstico, tratamento e medicamentos disponíveis na atenção básica para pacientes hipertensos, o médico salientou a necessidade de abordar o paciente de forma humanizada, adequando a linguagem e o tipo de medicação, e alertando sobre a importância da mudança do estilo de vida. Para o médico, é necessário que os profissionais que irão atuar junto à comunidade estejam dispostos a interagir e compreender a realidade das pessoas, aumentando a resolutividade dos casos ainda na atenção básica.

A dermatologista Carla Pires, professora da Faculdade de Medicina da UFPA, discorreu sobre a hanseníase, os principais sintomas, diagnóstico e tratamento adequado que o paciente pode receber nas unidades de saúde. Ela explica que é importante que a equipe saiba identificar casos de hanseníase antes que a doença avance, e destaca a importância da orientação correta do paciente para que o tratamento possa continuar de forma adequada.

Outro assunto abordado foi a tuberculose, cujos palestrantes foram o médico pneumologista Carlos Albério e a enfermeira Luciana Leal, que atuam no Ambulatório de Tuberculose Multirresistente do Barros Barreto, referência secundária e terciária no tratamento da tuberculose no estado. Segundo eles, é na atenção básica que os pacientes são recebidos quando apresentam os primeiros sintomas, por isso é importante que o tratamento seja acompanhado pela equipe, para que se possa aumentar a adesão e as chances de cura do paciente.

A médica Dionara de Carvalho Costa veio do município de Aurora do Pará para receber a capacitação. Ela conta que viajou cerca de cinco horas até Belém e avaliou a experiência como positiva. "É muito importante a abordagem que fazem com a gente, de perceber quais são as nossas necessidades, quais lacunas precisamos preencher na nossa formação e melhorar o atendimento que prestamos", afirma a profissional.

A chefe do Setor de Pesquisa e Inovação do Complexo, Simone Conde, completa que a educação continuada para a atenção básica faz parte da missão dos hospitais da Rede Ebserh, de ensino, pesquisa e assistência. "Nós trabalhamos em rede, o paciente vem da atenção básica para o hospital, ao sair daqui ele volta para a rede primária, por isso só vamos ter um processo adequado se todos os elementos estratégicos da rede conversarem entre si, e cada vez mais se capacitarem e se organizarem junto", afirma a médica. Os próximos módulos da capacitação abordarão temas como Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), alterações nutricionais e dermatoses na infância.

Sobre a Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh. O Complexo Hospitalar da UFPA integra a Rede Ebserh desde outubro de 2015.

Texto e fotos: Paola Caracciolo – Ascom do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh