Roda de Conversa encerra semestre com avaliação positiva

A organização do projeto Rodas de Conversa em Cuidados Paliativos, desenvolvido pelo Serviço de Cuidados Paliativos Oncológicos (SCPO), da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), vinculado ao Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA)/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), fechou o semestre com a participação de 311 pessoas no ciclo de palestras. O encerramento foi na sexta-feira, 15, no auditório do HUJBB, com o tema "Sedação paliativa: quando e para quem indicar?", ministrado pela médica oncologista e paliativista Rosa Vallinoto, da Unacon. Em agosto as rodas continuam, entre os temas: controle de dor, terapia subcutânea, aspectos psicológicos do cuidador e da família e aspectos éticos em cuidados paliativos.

Segundo a palestrante, a sedação paliativa consiste no uso de medicamentos que reduzem o nível de consciência de pacientes em estágio terminal, para aliviar os sintomas refratários. Ela comentou que ao abordar o assunto, a ideia é contribuir na formação de dos profissionais de saúde que lidam diretamente com os pacientes. "O Hospital Barros Barreto é um hospital muito grande, que engloba várias especialidades de residência médica, por isso pretendemos atuar na formação desses estudantes e trazer melhorias ao serviço, controlando os sintomas por meio da humanização da medicina", afirmou.

Ela disse ainda que cotidianamente a equipe de cuidados paliativos é solicitada com mais frequência pelas equipes de acompanhamento de pacientes. "O que já notamos são algumas mudanças na conduta dessas equipes, como forma de darmos um suporte e uma sensibilidade maior para aqueles que não há mais possibilidade de tratamento, a não ser os cuidados paliativos", concluiu. Além da sedação paliativa foram trabalhados os temas "Quando e para quem indicar cuidados paliativos?", "Comunicação de más notícias" e "escalas de funcionalidade".

Para Cinthia Castro, enfermeira da equipe de cuidados paliativos da Unacon, os resultados deste primeiro ciclo das rodas de conversa foram satisfatórios, e superaram os de 2016, início da implementação do projeto. "Notamos que a participação ainda se restringe ao setor da oncologia. Nas próximas palestras, esperamos a participação de equipes como clínica médica, infectologia e pneumologia, pois no futuro o objetivo é essa linha de pesquisa seja estendida aos pacientes não-oncológicos", avaliou.

Ela destaca ainda que é importante que outros setores dos hospitais participem das discussões, para que sejam identificadas situações onde a equipe de cuidados paliativos possa atuar com mais rapidez. "O objetivo do projeto é capacitar os profissionais para que haja uma mudança de paradigma no olhar dessas equipes sobre o paciente, pois realizar os cuidados paliativos é aumentar a qualidade de vida do paciente no tempo que lhe resta", salientou a enfermeira.

Todos os profissionais de saúde interessados no tema dos cuidados paliativos são convidados a participar das atividades, que iniciam em agosto deste ano.
 

Texto e fotos: Paola Caracciolo - Ascom do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh.